Leitura Reversa – uma revista literária de amplo alcance
19/04/2017 - 17h43 em Novidades da Rádio

 

Artigo Por: Alexandre Souza - Editor

 

 

Ao longo de minha jornada cultural sempre fiz diversos fanzines em que, por via de regra, o conteúdo literário dividia espaço com divulgações de autores nacionais. Foram dezenas de edições com publicações de textos de poetas e contistas, além de resenhas curtas sobre livros.

 

O tempo passou e o meu pensamento sobre esse tipo de trabalho amadureceu, e eu percebi que poderia fazer muito mais pelos escritores. Não só amigos próximos, como também vários outros que percebi estarem na mesma situação: a falta de reconhecimento.

 

Um autor brasileiro não consegue ter o reconhecimento que tanto almeja porque não tem visibilidade. E engana-se quem pensa que para se divulgar um livro, basta anunciá-lo nas redes sociais. Esse é um erro que muitos escritores cometem, justamente pela escassez de serviços sérios de Marketing Literário no Brasil.

 

Mas o que viria a ser Marketing Literário?

 

Primeiramente, a grande maioria dos autores confunde Marketing com Propaganda. Sendo que o Marketing para autores deveria ser praticado por toda editora, mas por gerar muitos custos que não estão inclusos no pacote de publicação, torna-se uma ferramenta praticamente inexistente.

 

A ideia central do Marketing Literário voltado para autores seria a de manter os relacionamentos como verdadeiros bens das editoras, e não os seus livros à venda, embora estes tenham grande importância. A principal noção que justifica essa concepção é a de que os relacionamentos com seus autores fornecem às editoras rendimentos de longo prazo e baixos riscos, bem como a oportunidade de aumentar tanto os rendimentos como o lucro de modo seguro e duradouro.

 

Sendo assim, muitos autores passam a acreditar que seu sonho será realizado se uma grande editora publicar seu livro. O que na grande maioria dos casos acaba se tornando uma grande frustração, já que atualmente não se tem notícias de editoras brasileiras investindo em Marketing Literário para Novos Autores, cujo talento passa despercebido do público leitor.

 

Há também o problema que existe no mercado editorial, em que autores podem se perder na ilusão de que sua publicação é um sucesso após analisarem os números fornecidos pela editora, quando estas dizem, por exemplo, que seu autor “vendeu mais de cinco mil livros” nos primeiros meses de lançamento. O que, na verdade, não é uma informação 100% verdadeira. Esses mais de cinco mil livros que a editora vendeu, na verdade foram vendidos para livrarias conveniadas. Como sabemos que os direitos autorais pagos por qualquer editora brasileira são mínimos, isso não representa muito para o autor. E o que é pior: o autor busca leitores, mas será que as livrarias conseguiram vender esses mais de cinco mil livros?

 

Sabemos que a falta de leitores no Brasil é um problema conhecido por todos que estão envolvidos no meio literário, mas somos levados a uma reflexão mais profunda quando vemos eventos literários lotados de leitores. O problema então é a falta de leitores ou a falta de um Marketing Literário?

 

Nesse ponto, volto a afirmar que o autor é mais que um produto. Ele tem sua própria marca, personalidade e ideologia. Se a editora não souber passar para o leitor tudo o que o livro representa, fatalmente seus livros não passarão para o lado de fora da vitrine de uma livraria. E o mesmo vale para os e-books, talvez com uma dificuldade de divulgação ainda maior, já que são produtos de um mundo virtual imediatista, facilmente descartáveis após a leitura.

 

 

Ao criar a revista Leitura Reversa, minha intenção foi abrir um espaço de publicidade para autores talentosos, que dificilmente conseguem visibilidade no mercado literário.

 

Como parte de um projeto da minha formação em Marketing, reuni-me com outra profissional do ramo, Claíse de Albuquerque, para desenvolvermos um conjunto de serviços de divulgação literária. Então, a revista apresenta o autor para o público leitor através de resenhas, matérias e anúncios. Sendo distribuída para todo o Brasil, iniciando sua distribuição para os ouvintes dos programas literários da Webrádio Reversa que, funcionando junto com a revista, também divulga o livro do autor através de spots e booktrailers, ampliando ainda mais o alcance publicitário através da internet.

 

As redes sociais ligadas à revista e webrádio não são o suficiente, mas ajudam no crescimento e alcance do projeto, que ainda conta com um aplicativo próprio para a programação que permanece 24h no ar, para o mundo todo, com locutores profissionais para a construção dos spots, e um editor de vídeo contratado pela Reversa para a criação de booktrailers em nosso canal no Youtube e exibição no site da webrádio.

 

Curiosamente, o programa de maior audiência da Reversa é o Estação Literária, que vai ao ar todos os dias com dicas de livros, resenhas, poesia recitada e, claro, música de qualidade. Aproveitamos a audiência desse programa para tocar os comerciais em áudio, contratados por autores que adquiriram nosso pacote de divulgação.

 

Considerando que a revista conseguiu parcerias para ser amplamente distribuída para editoras interessadas em divulgar seus autores, e que a maioria das pessoas se conecta a um smartphone em que é possível baixar nosso aplicativo, a Reversa tornou-se um grande canal de mídia literária, com seus diversos recursos e alcance ilimitado.

 

Nosso próximo desafio será ampliar a Reversa através de uma agência, possibilitando patrocínios literários e eventos de lançamentos. Um trabalho árduo, mas que a pequena e atual equipe da Reversa faz com o maior prazer!

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!